Léa Ferro ~ Arpoador: Contos e Poesias
"A noite é o silêncio que cala o olhar dos amantes!" Léa Ferro 1994
Capa Meu Diário Textos E-books Fotos Perfil Livros à Venda Prêmios Contato Links
A centopéia: Em cinco atos!
A Centopéia: Em cinco atos:
(Por Glória Azevedo e Léa Ferro:)


1 - Passeio da centopéia:

De sapatinhos azuis passeia a centopéia
O gramado é todo verde, o sol brilha delicado
Ela caminha faceira segurando uma sombrinha
E diz, olá, formiguinhas, balançando as anteninhas

Para fazer seu passeio, ela acorda muito cedo
São tantos os sapatinhos e precisam estar limpinhos
Ela é muito vaidosa e gosta de estar bonita
Passa horas no espelho a passar batom vermelho

Passa protetor solar, para não manchar a pele
Põe enormes óculos escuros e fica misteriosa
Prende laços azuis nas antenas antenadas
E canta toda animada os rocks do seu ipode

Toda- toda poderosa a centopéia Léa!

Glória Azevedo. 04-12-07.


2 - A Centopéia segue o sol:

De lindos azuis laços, a centopéia da seus tímidos passos
delicados e matreiros, ela desliza toda sorridente
cumprimenta as margaridas, de brancos dentes
é exibida, é vaidosa, veste um azul bem clarinho
ela faz inveja até nas rosas, faz um charminho.

Quando é manhã, ela passeia, e segue o sol
são sessenta sapatos, para lustrar, e tem lacinhos
o sol vem ligeiro lhe espiar, sorri e lança um beijo
ela acha graça, fica vermelha, esconde o olhar
mas é danada e aprecia, o galante cortejo!

As borboletas pousam faceiras ao seu lado
querem saber, o tal segredo, sua beleza
ela disfarça, pisca os olhos, toda acesa
mas nada fala, dos lindos laços, azul marinho
e elegante, a Centopéia atravessa todo o jardim
cheia de Glória, dos seus sapatos limpinhos.

Até os passarinhos se perguntam: - Onde ela vai?
Fofocam com as bromélias, com o gramado e as tulipas
de longe eles a observam, quando ela sai
cantando toda animada, ela passeia rumo ao farol
deixa bem cedo a floresta, instiga com seus mistérios
e fica toda alegrinha, quando é manhã, namora sob sol!

Léa Ferro. 04-12-07.


3 - Centopéia dos cachinhos dourados:

Os lindos laços azuis
Prendem seus cachos dourados
São laços pequeninos e delicados
Ela olha no espelho, pela manhã
E vaidosa, gosta do que vê...

Escolhe lindos sapatos
Um vestido bem clarinho
E com uma flor nos cabelos
Inicia, seu passeio.

O vento leste a balançar seus cachinhos
Refresca seu rostinho moreno
E alivia o melancólico olhar.

Ela caminha rumo ao sol
Enamorada...

Cantarolando uma ciranda de roda
Lembra da infância serena
Dos dias de mar e poesia
Das rosas todas bonitas
E do violão de seu pai.

Os lindos laços azuis
Não omitem tamanha beleza
Que seus cachos dourados
Tem na luz do dia nascente.

Se o sol desperta
A Centopéia ri baixinho
Como menina arteira
Por sentir o coração disparar
E por ganhar do seu amor...
...um beijinho!

Léa Ferro. 05-12-07.


4 - O namoro da Centopéia:

Em noite de lua crescente
A menina Centopéia sai a namorar
Com seus sapatos azuis
Encanta-se com as estrelas
E ri pela lua brilhar.

As rosas molhadas de orvalho
Lhe cumprimentam alegres
Sentem o seu sorriso
E emprestam seu perfume
As rosas sabem, o seu segredo
Entendem o seu olhar.

Na asas de um passarinho
A moça pega carona
E voa rumo ao verde vale
Onde vai encontrar
Um riso incandescente
No beijinho adocicado
De uma menina morena
Das mãos cheias de letras
De belos cachinhos dourados
Do melancólico olhar!

Léa Ferro. 05-12-07.


5 - Amor a primeira vista:

A centopéia morena
Vivia meio à deriva
E não dava sorte no amor
Tão tristonha era sua vida
Suas alegrias pequenas
O seu mundo era sem cor

Pra que acreditar no amor?

Mas o mundo gira- gira
E para num ponto certo
Bem fagueira, no jardim
Caminha uma centopéia
Com cem sapatinhos azuis
Um olho que mira e atira
Jeitinho muito inquieto
De anjinha Querubim

Por que o coração faz tum-tim?

Tímida até não poder
A centopéia morena
Encara uma infinidade azul:
Cem sapatinhos azuis
Dois laçarotes azuis
Dois olhinhos azuis
Um sorriso azulzinho
Seu coração bate azul...

E azul é o que ela escuta:
Andei por tantos caminhos
Para poder te encontrar
E agora que estamos aqui
Não vamos nos separar
Era um tempo tão romântico
O tempo das centopéias!

Como escapar do amor?!

Glória Azevedo, 05-12-07



Léa Ferro
Enviado por Léa Ferro em 27/09/2008
Alterado em 27/09/2008
Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários
Contos & Poesias
"A mais que a lua seja bela / serás sempre a bela lua!"
Léa Ferro 1994
Arpoador é um site de literatura independente. Se você quiser contribuir financeiramente, realize uma doação em qualquer valor. Obrigada e boa leitura!