Léa Ferro ~ Arpoador: Contos e Poesias
"A noite é o silêncio que cala o olhar dos amantes!" Léa Ferro 1994
Capa Meu Diário Textos E-books Fotos Perfil Livros à Venda Prêmios Contato Links
Poema da mulher infinda:
_______________Léa Ferro

No véu estigmatizado das banalizações humanas
Ela rompe todos os elos, rasga o véu
E desfolha a pele inquieta em que habita.

Redesenhando as palavras flácidas,
Ela molda co’as mãos oleiras o próprio corpo
E reinventa a liberdade que nutre em seu peito.

Ouve os gritos e o estalar dos chicotes
Que entranham em sua carne
E sangram o seu olhar, sem permissão...

Mas estende seus punhos no ar
E liberta seu ventre
Das misoginias escancaradas e descaradas.

Ela já não suporta os silêncios
Tampouco a bruta mercantilização
De seu corpo e sua imagem.

Ela não sustenta mais
A face, repetidamente, estampada
Em pobres propagandas androcentristas.

Ela cobiça apenas a nudez de sua alma,
A condecoração de seu conhecimento e inteligência
E a personificação de seus sentimentos.

No véu estigmatizado das banalizações femininas
Ela transgride-se mulher e deseja, bravamente,
A visibilidade de seu coração indelével.
Léa Ferro
Enviado por Léa Ferro em 06/09/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários
Contos & Poesias
"A mais que a lua seja bela / serás sempre a bela lua!"
Léa Ferro 1994
Arpoador é um site de literatura independente. Se você quiser contribuir financeiramente, realize uma doação em qualquer valor. Obrigada e boa leitura!